quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Edificada Segundo o Plano do Senhor


Edificada Segundo o Plano do Senhor



Mateus 16.18, Atos 2.41, João 14.14



Em muitos aspectos, a igreja contemporânea se parece mais com um grande corporação do que com a igreja descrita no Novo Testamento. Às vezes, até os líderes de igreja são mais semelhantes a presidentes e executivos de grandes companhias do que a pastores humildes e amáveis. Infelizmente, as boas-novas – de que um pecador pode achar perdão para os pecados diante de um Deus santo, por colocar a sua confiança em e entregar toda a sua vida a Jesus Cristo – são freqüentemente ocultadas por programas orientados por "sucesso" e interesse em resultados.



Por conseqüência, muitas igrejas se tornaram nada mais do que centros de entretenimento, empregando táticas que atraem as pessoas à igreja, mas são incapazes de ministrar-lhes verdadeiramente, quando vêm à igreja.



Deus nunca tencionou que a igreja fosse assim. Em Mateus 16.18, Jesus diz: "Edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela". Observe a única condição do Senhor nesta promessa: "Eu... edificarei a minha igreja" (ênfase acrescentada). A garantia do Senhor é válida somente quando Ele edifica a sua igreja à sua maneira. Quando seguimos a sua planta, podemos estar certos de que Ele está agindo por meio de nós e de que nada, nem mesmo as portas do inferno, O impedirá.



Então, qual é a planta? A igreja correta pela qual devemos começar é a primeira igreja – a de Jerusalém. Ele teve sua origem no Dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo encheu os 120 crentes que se congregaram para uma reunião de oração. O Senhor acrescentou 3.000 almas naquele mesmo dia (At 2.41). Aqueles crentes novatos não sabiam nada a respeito de edificar uma igreja. Não tinha precedentes; não tinham um livro sobre a igreja; nem tinham o Novo Testamento. Apesar disso, a igreja foi edificada à maneira de Jesus, e, assim, ela é modelo para a igreja contemporânea.



De volta à planta: Estudo Bíblico, Comunhão e Oração



Atos 2.42 nos mostra a planta que eles seguiram: "E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações". Esses são os elementos vitais que constituem a função e a vida da igreja – e todos eles são citados em um único versículo.



Eis um ponto de partida óbvio: uma igreja edificada segundo o plano do Senhor começara com o correto material grosseiro – uma congregação salva. O versículo 41 revela que a igreja era constituída daqueles que "aceitaram a palavra" de Pedro e "perseveravam". Ou seja, a igreja de Jerusalém estava cheia de verdadeiros cristãos – aqueles que aderiam continuamente à doutrina dos apóstolos.



Se a igreja deve ser edificada à maneira de Cristo, ela tem de ser redimida e capacitada pelo Espírito Santo. Um membro de igreja não-salvo, destituído do Espírito Santo, não tem poder de vencer a vontade própria, interesses pessoais e o amor ao pecado. Somente os crentes têm o poder de Deus para despojarem-se dessas coisas e manifestarem o Espírito de Deus.



Embora a igreja primitiva não possuísse o Novo Testamento, ela tinha a Palavra de Deus na forma da "doutrina dos apóstolos". A igreja em Jerusalém era comprometida com o receber essa palavra. A doutrina é a base da igreja – você não pode viver o que não sabe e não entende. Essa foi a razão por que Paulo instruiu Timóteo nestes termos: "Prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina" (2 Tm 4.2-3). Esse tempo chegou. Se a sua igreja não está pregando a verdade diretamente da Bíblia, como você reconhecerá o erro, quando ele surgir? Como você crescerá? Nunca permita que o púlpito da igreja seja ocupado por alguém que não guia a congregação por meio de um estudo profundo e penetrante da Palavra de Deus.



A principal ênfase da comunhão da igreja primitiva era o partir do pão – a Ceia do Senhor. Era o símbolo mais apropriado da comunhão deles, visto que lhes recordava o fundamento da sua unidade – a salvação em Cristo e a aceitação da doutrina dos apóstolos. Se você tem essas coisas como a base comum com outros crentes, a Ceia do Senhor – a comunhão – é, também, o símbolo mais adequado de sua comunhão.



Comemos e bebemos em memória do amor sacrificial de Cristo que O levou à cruz. Em nossa comunhão, devemos ter o hábito de praticar o mesmo tipo de amor que Cristo demonstrou para conosco. Em termos práticos, podemos sempre dar nossa vida por aqueles que Deus coloca em nossa jornada. Você ora habitualmente por seus irmãos em Cristo? Está encorajando-os, edificando-os, atendendo às suas necessidades físicas? Essas são as marcas da verdadeira comunhão cristã.



Atos 2.42 nos diz que os crentes se dedicavam à oração. Infelizmente, a mesma dedicação à oração é negligenciada em nossos dias. As igrejas podem encher os bancos por oferecerem entretenimento, mas, quando realizam a reunião de oração, somente alguns poucos fiéis vão à igreja. Os cristãos primitivos recordavam a promessa do Senhor: "Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei" (Jo 14.14). Enquanto eles demonstravam dependência do Senhor, os resultados (At 2.43-47) eram admiráveis.



Edificada de Acordo com a Escala: Temor, Amor e Alegria



O que acontece quando verdadeiros crentes permanecem sob a influência do ensino bíblico, em uma comunhão espiritual, dedicados à oração? Atos 2.43 diz: "Em cada alma havia temor". "Temor" fala-nos sobre um senso de reverência. É reservado para tempos especiais quando as pessoas são tomadas de admiração por causa de algo divino ou poderoso que desafia a explicação humana.



A nossa igreja deve ser capaz de instilar um senso de temor em nossa comunidade. A igreja primitiva fez isso. O versículo 43 diz que em todos havia temor, por causa dos "muitos prodígios e sinais... feitos por intermédio dos apóstolos". Embora os milagres e sinais da era apostólica não sejam mais necessários agora, quando a Palavra de Deus está completa, o poder de Deus continua se manifestando. O que poderia ser mais maravilhoso do que dar vida a pessoas que estão mortas no pecado? Deus cura as pessoas de suas feridas, une lares destroçados, liberta pessoas da escravidão ao pecado. Em resumo, Ele transforma vidas. Quando a igreja segue o plano de Deus, Ele fará coisas admiráveis e poderosas em vidas individuais diante de um mundo observador.



A igreja primitiva era cheia de amor – eles "tinham tudo em comum" (v. 44). Havia direito de propriedade na igreja primitiva – os crentes não viviam em uma comuna –, mas eles não possuíam nada em exclusão de alguém que tinha necessidade. Os verbos gregos traduzidos por "vendiam" e "distribuindo", no versículo 45, mostram que eles estavam continuamente vendendo e distribuindo os seus recursos conforme a necessidade. Esse tipo de amor sacrificial é o resultado da obra do Senhor em cristãos obedientes que seguem a planta do Senhor.



O Senhor abençoa aqueles que trabalham de acordo com seu plano. Ele enche de alegria (v. 46) e louvor (v. 47) a igreja obediente. Como não podemos ser felizes quando vemos Deus agir entre nós? Como podemos deixar de regozijar-nos quando vemos Deus usando a nossa igreja para causar um impacto eterno neste mundo? Segundo, o Senhor acrescenta almas à sua igreja. Atos 2.47 conclui dizendo que "acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos".



Desejo ver o crescimento da igreja. Sei que você compartilha desse desejo. Minha oração é que deixemos Deus edificar a igreja à sua maneira, enquanto aguardamos a volta do Senhor. Se você quer valorizar a sua igreja, siga a planta do Senhor e encoraje os líderes de sua igreja a fazerem o mesmo.
 
 
 
John MacArthur


John MacArhtur, autor de mais de 150 livros e conferencista internacional, é pastor da Grace Comunity Church, em Sum Valley, Califórnia, desde 1969; é presidente do Master's College and Seminary e do ministério "Grace to You"; John e sua esposa Patrícia têm quatro filhos e quatorze netos.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário.

  ©Template by Dicas Blogger.