sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A maior Alegria que os pais podem receber


Quando anunciei que minha esposa estava grávida, muitos ficaram alegres, dizendo que a notícia era maravilhosa, e realmente é. É uma alegria enorme saber que vou ser pai.

Mas, como sempre, há aquelas pessoas que vem para nos entristecer, nos desmotivar. Chegou uma pessoa para mim e disse: Rapaz, você terá que separar uns 30% do seu orçamento para fazer uma poupança para o seu filho, na época não sabíamos o sexo do bebê. E eu falei: Vixe é mesmo? E meu filho agora é um investimento imobiliário?
 Deve ser por isso que muitos não querem ter filhos logo. Outra pessoa me falou: Você é muito corajoso, quando penso em ter menino me vem logo na mente o colégio dele que terei que pagar. Olha que esses irmãos ganham, acho que, umas dez vezes a mais do que eu. Imaginem se eles ganhassem o mesmo tanto que eu, não que eu ganhe pouco, mas o suficiente para viver.
Será que esses irmãos não conseguem ver que é uma bênção ter um filho?     
Será que eles realmente só estão preocupados com o dinheiro que irão gastar?
Acho que sim, pelos comentários que fizeram. Não que eu ache essas preocupações ruins, acho sim muito válidas, mas elas não podem decidir se vou ter um filho ou não.
 Devemos confiar no Senhor que Ele irá suprir todas as nossas necessidades. Ter filhos é mandamento de Deus (Gn 1.28), Deus nos ajudará com o sustento deles. Para muitos casais, ter filhos é um fardo a se carregar, é uma provação. Mas a culpa não é dos filhos em si, e sim dos pais que se mostram egoísta em relação a isso, pois não querem mudar o seu modo de viver, suas rotinas, suas carreiras. Lógico que quando se tem um filho, a vida muda, a responsabilidade aumenta.

Posso dizer que: “Os filhos são a maior alegria que os pais podem receber de Deus.”

Por que afirmo que os filhos são a maior alegria que os pais podem receber de Deus, por duas razões.

                              I.      Porque os filhos são presentes do Senhor (Sl 127)

                        A Escritura é clara quanto a isso, que os filhos são um presente de Deus para nós.  O salmo 127.3 “ Herança do SENHOR são os filhos...” Deus concede filhos para dar aos pais amor, alegria, satisfação, felicidade e contentamento.

                        Um filho muda tudo. Em Gn 4:26, quando Enos nasceu, daí que se começou a invocar o nome do Senhor. Já vi várias famílias se voltarem para Deus por causa dos filhos. Famílias que antes estavam destruídas, os pais quase se separando. Mas o filho veio para unir estes casais.

Ao longo das escrituras encontramos com freqüência de os filhos serem tratados com bençãos. Lembremos de Lia em Gn 29:31-33, onde a compaixão de Deus por Lia se manifesta na fertilidade. E o mesmo acontece com Raquel. Jacó reconhece que só Deus pode nos dar filhos em Gn 30:2.

Nitidamente os filhos representam bênçãos e não um peso. Devemos ser gratos a Deus por nossos filhos. A gratidão deve brotar em nossos corações, mesmo nas dificuldades que passamos ao criá-los. Devemos pedir sabedoria a Deus para criá-los.

Os filhos são a maior alegria que podemos receber de Deus porque eles são presentes do Senhor, mas não somente isso, porque eles são para o Senhor.

                          II.      Porque os filhos são para o Senhor


Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás aos teus filhos, e delas falarão assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.”
(Deuteronômio 6.6-9).

Que grande prazer é ensinar a uma criança sobre a palavra de Deus, quanto mais nossos filhos. E essa é a maior responsabilidade dos pais. Consagrá-los ao Senhor para que desde pequenos eles se disponham para servir. Deus nos deu os filhos para que possamos devolvê-los a Ele.

Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, Ainda quando for velho, não se desviará dele.
Pv 22.6

                       
           Devemos ensiná-las que fomos feitos para a glória de Deus (Ef. 1), e isso deve refletir em tudo que vamos fazer. Devemos ensiná-las a Obedecer a Deus em qualquer circunstância (1 Pe 1.2). Devemos incentivá-las a ler a Palavra (Hb 4.12), o valor da palavra (Sl 19. 7-14), a louvar (Cl 3.16, Ef 5.19), a agradecer (I Ts 5.18), a adorar (Sl 29.2), a orar (I Ts 5.17), a confessar pecados (Sl 32). Para que elas venham ser benção, e realmente usadas pele nosso Senhor. Mas, só podemos ensinar se conhecermos e praticarmos a Palavra de Deus (Tg 1.22).  Lembremos que o nosso viver ensina muito mais do que a as nossas palavras.                      

Edificar uma família centrada na Palavra (Mt 7: 24-27) é a essência da responsabilidade que Deus mesmo tem dado aos pais, e é um dever que cada pai deve abraçar alegremente, pois ele é sacerdote do lar. Formar uma família centrada na Palavra é uma alegria, não um trabalho penoso. Esta é a maneira que Deus planejou que fosse. A Palavra de Deus é o único alimento verdadeiramente sadio que os pais podem oferecer aos seus filhos, sem o risco de intoxicação ou envenenamento. (Mt 4.4)

Quando pais não podem fazer este dever pessoalmente, eles devem encorajar suas esposas a levarem esta tarefa. Por exemplo, Timóteo se beneficiou grandemente das instruções diárias da sua mãe e avó tementes a Deus (II Timóteo 1:5; 3:15). É importante que pais e filhos leiam a Bíblia e orem juntos diariamente, como uma unidade familiar.


Que essas responsabilidades venham ser uma grande alegria e privilégio para nós que somos pais. Que o nosso viver seja uma exemplo para nossas crianças.

Servindo com alegria,
Henrique Prudêncio

Read more...

sábado, 1 de outubro de 2011

A principal missão da igreja


               
Se eu perguntasse qual seria o principal papel da igreja, talvez alguns responderiam que seria a comunhão, outros o louvor, e outros a edificação. A comunhão, ensino e louvor são importantes, mas o motivo principal da igreja é glorificar a Deus. O apóstolo Paulo descreve a salvação como sendo "para o louvor da glória da sua graça" e, em seguida, declarou: "A ele seja a glória, na igreja" ( Ef 1:6. ; 3:21 ).
O próprio Jesus veio para revelar a glória do Pai.  Em João 1:14 ensina que Cristo era a glória de Deus manifestada. Hebreus 1:3 declara que Cristo é "a expressão exata do ser de Deus." Como nosso Salvador, nós também somos para glória de Deus.
Deus deseja que os perdidos sejam salvos, pois assim Ele é mesmo glorificado. Ele mesmo demonstrou o seu a amor pelos perdidos quando nos enviou o seu filho, Jesus Cristo.
Como Deus demonstra esse amor através de Jesus Cristo? Esse amor é demonstrado quando vemos:
I - A iniciativa de Deus para salvar
O pecado de Adão trouxe a morte para a raça humana. Imediatamente, Deus começou a redimir o homem de volta para Si. Foi Deus que veio ao jardim e disse: "Adão ... Onde estás?" ( Gn. 3:09 ). É Deus quem inicia a obra de salvação. Caído, o homem não redimido não buscam a Deus ( Rm. 3:11-12 ). Deus é o buscador.
 II- O desejo de Deus para salvar
A partir da primeira chamada, "Adão ... Onde estás?" ( Gen. 3:09 ) para a última chamada, "O Espírito e a noiva dizem: Vem" ( Ap 22:17 ) Deus deseja para redimir o homem caído para si mesmo. Ele é glorificado quando os pecadores são salvos.
As Escrituras afirmam que "Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo " ( 2 Co. 5:19 ). Deus invadiu a história humana e se tornou um homem para fazer o que era o supremo desejo do Seu coração: glorificar a Si mesmo pela redenção dos homens e mulheres pecadores. 
III - A promessa de Deus para salvar
Deus disse a Abraão: "Por ti todas as famílias da terra serão abençoadas" ( Gn 12:3 ). Desde o início, Deus quis resgatar todas as famílias da terra. Nunca foi sua intenção de selecionar e isolar Israel como se fosse a única nação que Ele se preocupava. Israel foi o povo missionário através de quem Deus desejava para alcançar o mundo. É por isso que Ele disse a Israel: " te dei como luz os gentios, para seres minha salvação até à extremidade da terra" ( Is. 49:6 ).
Deus amou um mundo perdido e procurou ganhá-lo para Sua própria glória. Cristo veio ao mundo por amor e tentou conquistá-lo para a glória do Pai. Crentes também devem ir para o mundo no amor e procurar alcançá-lo para a glória de Deus. A Missão da Igreja é a mesma de Deus.
Jesus disse: "Esta é a vida eterna: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. Eu te glorifiquei na terra" ( João 17:3-4 ). Reconciliando o homem com Deus é a melhor maneira de glorificar a Deus. Essa é a razão porque Cristo veio ( Lucas 19:10 ). Os crentes são uma extensão do ministério de Deus Pai e de Deus Filho em receber a glória pela salvação dos pecadores perdidos: "Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo" ( João 17:18 ). Como o Pai enviou o Filho ao mundo não redimido, o Filho enviou os crentes. 
CONCLUSÃO
Deus deseja um coração que esteja disponível para ouvir suas ordens. Ele também deseja a verdadeira adoração.  O caminho e a mente de todo crente deve ser definido em Cristo. Todos os seus objetivos devem estar voltados para ele. Ele é o seu tudo.
E Você? Está disponível? Você é um adorador? É sua intenção e propósito na vida focar na Pessoa de Cristo? Tendo essas atitudes significa ser controlado pelo Espírito Santo, que é o único que pode fazer com que você chame Jesus de Senhor (1 Cor. 12:3). Todos os nossos bens, tempo, talento, energia, e os dons são para estar sob Seu controle. Significa também estar centrado na Palavra, porque a Palavra é o lugar onde Cristo é visto. Você contempla a Sua glória na Palavra.
O final de Mateus resume tudo dito anteriormente no evangelho. Como Cristo veio ao mundo para dar Sua vida para trazer as pessoas para si mesmo, de modo que o crente deve fazer o mesmo. (Mt 28.18-20)
Servindo com Alegria,
Henrique Prudêncio.

Read more...

  ©Template by Dicas Blogger.