quarta-feira, 24 de julho de 2013

Pensamento certo ou errado

Este artigo visa refutar os erros cometidos por Kenneth Hagin na interpertação de textos bíblicos usados no livro: Pensamento certo ou errado, Rio de janeiro, Graça, 2000.

Capítulo 1 – Pensar certo ou errado

Marcos 11:22-23
 “E Jesus, respondendo, disse-lhe: Tende fé em Deus; Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito”.

Kenneth Hagin apregoa que o verso acima ensina que devemos ter a fé de Deus, ou seja, a confissão que gera as coisas. Declara a existência de coisas que do nada virão a existir, podendo assim criar a realidade que quisermos.
Temos que ter fé em Deus, essa nossa fé em Deus é que faz com que os montes que enfrentamos a cada dia sejam superados, não pelo poder inerente a fé, mas no poder inerente do doador da fé, ou seja, o nosso Deus.
Se a palavra acima funcionasse automaticamente, isto é, se de forma literal Jesus nos desse qualquer coisa que lhe pedíssemos com fé, nosso destino e nossas lutas estariam sob nosso próprio controle, o que seria desastroso, pois somos incapazes de conhecer o que nos aguarda o futuro e o que é melhor para nossa vida. Todavia, nosso “Pai sabe do que necessitais, antes de lho pedirdes” (Mt 6.8; cf. Ef 3.20). Ele nos dará o que for melhor, e nem sempre pedimos o que é melhor. Deus poderá responder SIM ou NÃO, visto que Ele é soberano para fazer somente o que lhe apraz. Vejamos exemplos bíblicos em que Deus respondeu negativamente: Paulo orou com fé para que Deus o livrasse de um espinho na carne, e Deus não o atendeu (2 Co 12.8-9). Ele também estava capacitado por Deus para curar enfermos (Mc 16.18; At 28.9)), mas não pôde curar Epafrodito (Fp 2.25-27) nem Trófimo (2 Tm 4.20) nem Timóteo (1 Tm 5.23). 

1 João 1:9
"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar e nos purificar de toda injustiça."

A confissão positiva incentiva as pessoas a ignorar completamente os seus pecados e negar a sua realidade. Não quer falar alguma coisa negativa.  O medo de que uma confissão negativa pode trazer má sorte e por isso talvez se acumulando pecado que nunca é sempre tratado. 
A Bíblia nos ensina que nossas confissões positivas não podem contrariar a verdade dos fatos. Se um crente está com um câncer nos intestinos, com metástase no estômago e no fígado, não pode simplesmente afirmar que são apenas sintomas ou artimanhas do diabo para que haja confissão negativa. E quando o crente morre é porque morreu mesmo; não são sintomas da morte. Se o apóstolo Paulo fosse um “positivista”, teria negado a existência de um espinho na sua carne. Porém, com humildade, e reconhecendo a realidade da situação, revelou que “orei [pediu] ao Senhor por três vezes” para que desviasse de mim esse espinho. A reposta de Deus foi um não.

Rm 10.10b –
“ e com a boca se confessa a respeito da salvação.”

O autor interpreta que esse versículo é uma promessa que a Palavra de Deus deve ser confessada antes mesmo que se torne uma realidade.
O versículo 10, na verdade, é uma explicação do versículo 9. O que Paulo queria dizer é que a salvação é uma questão de confiança pessoal num salvador vivo, o que evidenciará por uma confissão sincera.

2 Co 5.17
Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.

Kenneth Hagin interpreta que pelo fato de sermos novas criaturas nós não podemos ter mais doenças ou enfermidades, pois isso indicaria que Satanás teria ainda domínio sobre nós.
Por sermos novas criatura isso indica que nossas prioridades, valores, sistemas, crenças mudaram fazendo com que olhemos as coisas com uma nova perspectiva. A graça de Deus não apenas justifica, mas também transforma em nova criatura, o que resulta em um novo estilo de vida. Os crentes foram eleito (Ef. 4.11), justificados (Rm 8.1), santificados (ICo 1.2) e glorificados (2 Co 3.18) em Cristo. Aqui Paulo enfoca a importante significado da união do crente com  o Salvador.

Capítulo 2 – Crer certo ou errado

Rm 8.37
 

Ele afirma que uma pessoa nunca será um vencedor, a menos que confesse que o é.  E acrescenta que se confessar errado, naturalmente, será uma confissão de derrota e fracasso, e de supremacia de satanás.
O apostolo Paulo está afirmando que somos mais que vencedores nas coisas que foram relatadas no versículo 35: A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada. Independente se confessarmos isso ou não somos mais que vencedores, pois a base dessa vitória está em Cristo que nos amou.

Mt 12.34

 Aqui o autor defende que se falarmos de doenças, é porque cremos nelas. Se falarmos de fracasso, é porque cremos neles. Inconscientemente falamos aquilo que está dentro de nós. Ele afirma que não é só a maneira de pensar, mas são as palavras que falamos é que constroem o poder ou a fraqueza dentro de nós.
Se nós podemos produzir o que quer que nosso coração deseja, basta exigir o que queremos pela fé, se é que podemos manipular o universo e talvez até mesmo Deus, então temos o nosso próprio gênio pessoal só esperando para cumprir os nossos desejos.




Capítulo 3 – Confessar certo ou errado

Gn 1.28
E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.

Kenneth afirma que quando Deus deu a Adão domínio, isso significava que Deus não tinha mais domínio Portanto, Deus não pode fazer nada nesta terra, a menos que deixá-lo ou dar-lhe permissão através da oração.
Deus criou o universo e o seu representante, o homem. Este encheria a terra e cuidaria do funcionamento da mesma. O homem cumpre o mandato de dar nomes à criação, debaixo da benção divina, expressando, assim, o fato de que ele leva em si a imagem do Criador-Rei.

I Pe 2.24

Levando ele mesmo em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados. 

Kenneth estava com um problema cardíaco e, segundo ele, já estava curado por causa do texto acima, mas ele estava tendo dois ou três ateques cardíacos por dia. Ele orava constantemente, mas precisava de algo além da oração, precisava de uma oração de que crê. Precisa acreditar na palavra e agir sobre ela.
O texto fala que Jesus, por não ter pecado, foi o perfeito substituto pelos pecados da humanidade. Carregar os pecados era ser punido por eles. Cristo sofreu o castigo e a condenação n lugar dos cristãos, satisfazendo, assim, a um Deus Santo. A cura física somente virá na glorificação, quando não haverá mais dor, doença ou morte (Ap 21.4).

Oração do pecador para receber o Jesus como Salvador

No final do livro o autor escreve uma oração para o pecador receber Jesus como Salvador, mas em nenhum momento fala de arrependimento de pecado, que é pecador, que precisa de perdão. O confessar Jesus com o Senhor Rm 10.9, implica em arrependimento do pecado, confiança em Jesus para a salvação e submissão a ele como Senhor, e não um simples reconhecimento de que ele é Deus e Senhor do mundo, pois até os demônios reconhecem isso como verdadeiro(Tg 2.19).

Conclusão

Sempre que as supostas coisas de Deus e as pessoas de Deus tornam-se popular com os habitantes deste mundo caído é prudente ter discernimento extra. O normal é que os cristão sejam perseguidos pelo que crêem, e não serem aceitos pelo mundo. Jesus nos advertiu: "Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós" (João 15:20 ). Por quê? Porque a mensagem da cruz é loucura para os que perecem ( 1 Co 1:18 ). Por isso, quando encontramos uma mensagem cristã ou ministério ou o homem ou a mulher que está sendo elogiado pelos incrédulos podemos ter a certeza que tanto a humanidade não regenerada ainda não pegou o que está sendo dito, ou que o que eles estão dizendo que está em linha com o que o incrédulo já acredita ou querem ouvir. A mensagem desse livreto é exatamente o que os incrédulos e os cristãos sem discernimento querem acreditar e eles estão entusiasmados em ter alguém que afirma ser um porta-voz confiável para Deus concordar com eles. Isso explicaria o sucesso incrível que essa doutrina tem ganho em várias partes do mundo.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário.

  ©Template by Dicas Blogger.