quinta-feira, 13 de agosto de 2009

OBEDECER A DEUS

Lc 2 : 21-38

1 Completados oito dias para ser circuncidado o menino, deram-lhe o nome de JESUS, como lhe chamara o anjo, antes de ser concebido.
22 Passados os dias da purificação deles segundo a Lei de Moisés, levaram-no a Jerusalém para o apresentarem ao Senhor,
23 conforme o que está escrito na Lei do Senhor: Todo primogênito ao Senhor será consagrado;
24 e para oferecer um sacrifício, segundo o que está escrito na referida Lei: Um par de rolas ou dois pombinhos.
25  Havia em Jerusalém um homem chamado Simeão; homem este justo e piedoso que esperava a consolação de Israel; e o Espírito Santo estava sobre ele.
26 Revelara-lhe o Espírito Santo que não passaria pela morte antes de ver o Cristo do Senhor.
27 Movido pelo Espírito, foi ao templo; e, quando os pais trouxeram o menino Jesus para fazerem com ele o que a Lei ordenava,
28 Simeão o tomou nos braços e louvou a Deus, dizendo:
29 Agora, Senhor, podes despedir em paz o teu servo, segundo a tua palavra;
30 porque os meus olhos já viram a tua salvação,
31 a qual preparaste diante de todos os povos:
32 luz para revelação aos gentios, e para glória do teu povo de Israel.
33 E estavam o pai e a mãe do menino admirados do que dele se dizia.
34 Simeão os abençoou e disse a Maria, mãe do menino: Eis que este menino está destinado tanto para ruína como para levantamento de muitos em Israel e para ser alvo de contradição
35 (também uma espada traspassará a tua própria alma), para que se manifestem os pensamentos de muitos corações.
36 Havia uma profetisa, chamada Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser, avançada em dias, que vivera com seu marido sete anos desde que se casara
37 e que era viúva de oitenta e quatro anos. Esta não deixava o templo, mas adorava noite e dia em jejuns e orações.
38 E, chegando naquela hora, dava graças a Deus e falava a respeito do menino a todos os que esperavam a redenção de Jerusalém.

Estudaremos nesse texto atitudes de algumas pessoas que temiam a Deus e obedeciam a sua Palavra. São elas: José e Maria, Simeão, e Ana.


I. UM EXEMPLO DE OBEDIÊNCIA – JOSÉ E MARIA (vv 21 -24)

Os pais de Jesus obedecem aos mandamentos de Deus, quando o levam, no oitavo dia, para ser circuncidado e depois do período de purificação a consagração do primogênito, de acordo com a lei de Moisés (Lv 12). Sendo judeu, era necessário que Jesus fosse circuncidado, pois Ele é “nascido sob a lei” (Gl 4:4-5). A obediência de José e Maria a Deus é demonstrada, também, ao darem ao menino o nome de JESUS (Salvador), como o anjo havia instruído.

A necessidade de purificação surge pelo fato de a mãe ser, cerimonialmente, impura. Por sete dias depois do nascimento de um menino, e por outros 33 dias ela devia guardar-se de tocar coisas santas e de entrar no santuário, esse era o tempo de purificação (Lv 12: 1-4).

A oferta que eles ofereceram foi a de uma família pobre, pois de acordo com a Lei, se uma família não tivesse muitas posses a oferta seria a de uma par de rolas ou dois pombinhos (Lv 12:8). Vemos, nesse texto, que José e Maria procuravam cumprir os mandamentos de Deus a risca da maneira que Ele ordenou. Deus nos deu os seus mandamentos para que os cumpramos a risca (Sl 119:4).



II. UM EXEMPLO DE CONFIANÇA E ESPERANÇA NO SALVADOR – SIMEÃO (vv 25 - 35)

Simeão era um homem justo e piedoso que confiava na Palavra de Deus. Deus havia dito que ele não morreria antes de ver o Cristo(vv26). E vemos essa promessa se cumprindo no versículo 29. O Espírito habitava nele mesmo antes do pentecostes, e ele era realmente guiado pelo Espírito.

Simeão descreve o propósito da vinda de Cristo no momento em o toma em seus braços(vv 29-32). O modo com que ele falou a Maria mostra que ele possuía uma compreensão do significado das profecias referentes ao sofrimento do Messias(vv 34-35), já fazendo um “aviso” do que iria acontecer com Jesus.

“Para ruína e levantamento” - fala dois grupos de pessoas: os que irão rejeitar a Jesus e cair eternamente. E os que o receberão e estarão para sempre com Deus.



III. UM EXEMPLO DE DEDICAÇÃO – ANA (vv 36-38)


Ana era uma mulher totalmente consagrada ao Senhor, de noite e de dia estava no templo servindo. Provavelmente se tornou viúva muito nova, pois passou apenas sete anos com o seu marido, como naquela época as mulheres se casavam em torno de 14 a 17 anos, ele deve ter perdido o seu marido, provavelmente, aos 24 anos. Após a morte dele, ela dedicou-se a oração e aos jejuns (vv36-37). Ana almejava a vinda do Messias, ela percebeu que Ele havia chegado no louvor de Simeão(vv 29-32), e ela já estava com 84 anos. Quando soube que o messias havia chegado dava graças a Deus e proclamava a notícia aos que esperavam a redenção de Jerusalém. Ana passou cerca de 60 anos se dedicando totalmente a Deus.

Simão e Ana representavam o povo piedoso em Israel, diferente dos judeus de mente carnal, onde faziam as obras para manter a aparência, honrando a Deus apenas com os lábios, mas o coração estava longe de Deus.


E nós?

Temos buscado Obedecer aos mandamentos de Deus como José e Maria?
Temos Confiado nas promessas de Deus, como Simeão?
Temos nos Dedicado ao serviço de Deus como Ana?
Temos orado pelo menos 10% do tempo de oração de Ana?

Que possamos nos dedicar em cumprir os mandamentos de Deus, confiando em Suas promessas, e nos dedicando ao serviço Dele.



Servindo com Alegria,
Henrique Prudêncio.

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário.

  ©Template by Dicas Blogger.